Dia Internacional de Ação contra as Represas e em Defesa dos Rios, da Água e da Vida (14 de março)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/3961

Próxima Celebração "Dia Internacional de Ação contra as Represas e em Defesa dos Rios, da Água e da Vida": Quarta-Feira, 14 de Março de 2018, : daqui 318 dias, 03:48:06-03:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 5 minutos.

O Dia Internacional de Ação contra as Represas e em Defesa dos Rios, da Água e da Vida ou "International Day of Action Against Dams and for Rivers, Water, and Life" em 14 de março de cada ano, é uma comemoração internacional, que também é conhecida como "Dia Internacional de Luta contra as Barragens" ou "International Day Against Dams" ou ainda "Dia Internacional de Ação pelos Rios" ou "International Day of Action for Rivers", ou mesmo "Dia Internacional de Lutas Contra as Barragens, pelos Rios, pela Água e pela vida", entre outras variações semelhantes, e que foi instituída em 1997 pelo "1º Encontro Internacional de Povos Atingidos por Barragens e de seus Aliados" na cidade brasileira de Curitiba-PR.

Para conhecimento, uma represa, barragem ou açude é uma barreira artificial, feita em cursos de água para a retenção de grandes quantidades de água. A sua utilização é sobretudo para o abastecimento de água zonas residenciais, agrícolas, industriais, produção de energia elétrica (energia hidráulica), ou regularização de um caudal. Desde o início da civilização, as barragens foram fundamentais ao desenvolvimento da espécie humana. De forma mais ou menos empírica, a sua construção visava, sobretudo, combater a escassez de água no período seco. Em nível mundial, algumas das barragens mais antigas de que há conhecimento situavam-se, por exemplo, no Egito, Médio Oriente e Índia. Na Índia, apareceram barragens de aterro de perfil homogêneo com descarregadores de cheias, para se evitar acidentes provocados pelo galgamento das barragens. Com a Revolução Industrial, houve a necessidade de se construir um crescente número de barragens, o que permitiu o progressivo aperfeiçoamento das técnicas de projeto e construção. Apareceram, então, as primeiras barragens de aterro modernas, assim como as barragens de betão.

As barragens costumam inundar uma longa extensão de terras habitáveis. Isso faz com que muitas pessoas tenham de ser desalojadas/removidas e tribos indígenas, fauna e flora completamente dizimadas. Por isso, deve haver a discussão sobre a real necessidade das barragens, bem como formas de minimizar o seu impacto socioambiental. É o que acontece atualmente, por exemplo, no caso da construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Brasil. As represas são construídas de forma a acumularem o máximo de água possível, tanto através da chuva, como também pela captação da água caudal do rio existente. Faz-se a barragem unindo as duas margens, aprisionando a água na albufeira (represa artificial das águas correntes ou pluviais, para irrigação). As barragens são muito importantes para o mundo moderno, pois são elas que permitem que haja água potável canalizada nas grande metrópoles mundiais.

São os seguintes os elementos da barragem e órgãos hidráulicos: paramentos ou Barramentos - as superfícies mais ou menos verticais que limitam o corpo da barragem: o paramento de montante, em contato com a água, e o paramento de jusante; coroamento - a superfície que delimita superiormente o corpo da barragem; encontros - as superfícies laterais de contato com as margens do rio; fundação - a superfície inferior de contato com o fundo do rio; descarregador de cheia ou Vertedouro - o órgão hidráulico para descarga da água em excesso na albufeira em período de cheia, em caso de se atingir a quota máxima do reservatório; tomadas de água - os órgãos hidráulicos de extração de água da albufeira para utilização; descarregador de fundo - o órgão hidráulico para esvaziamento da albufeira ou manutenção do caudal ecológico a jusante da barragem; eclusas ou Comportas - órgão hidráulico que regula a entrada e saída de água entre a montante e a jusante da barragem e permite à navegação fluvial vencer o desnível imposto pela barragem; e escada de peixes - órgão hidráulico que permite aos peixes vencer o desnível imposto pela barragem.

Contudo, a construção de uma represa afeta toda a zona onde a barragem e a sua albufeira se encontram, e também a área circundante, nomeadamente a jusante, por onde o rio passava. É por esse fato, que antes de se construir uma barragem, é necessário fazer estudos de impacto ambiental. Dessa forma, a barragem deixa passar um caudal ecológico que tem como função preservar os ecossistemas já existentes no rio e respectivas margens. A construção de uma barragem tem sempre de passar por 4 etapas fundamentais: o projeto, a construção, a exploração e a observação. No projeto é determinado, após estudos no local e estudos relativos à rentabilidade da barragem, o tipo de barragem a construir. Desta forma, podemos dividi-las em dois grupos essenciais relativamente ao material de que são constituídas: barragem de betão e barragem de aterro.

As barragens de betão são feitas em vales apertados, pois a resistência do betão tem algumas limitações relativamente ao comprimento da barragem. Apesar de muito resistentes, estas barragens são também muito vulneráveis a certos tipos de situações. Se houver algum erro de projeção, por exemplo, e a barragem fender pode ter consequências catastróficas. Já numa situação de galgamento pela água da albufeira, não é assim tão prejudicial. É possível definir dois tipos de barragem de betão tendo a forma como são construídas: barragem de gravidade - nesse tipo de construção a força que mantém a barragem em vigor contra o impulso da água é a gravidade da Terra; e barragem em arco - são construídas em vales mais apertados, podendo desta forma a altura ser maior que a largura. A 1ª barragem desse tipo de que se tem conhecimento foi construída pelos romanos na França em meados do século 1 a.C.

Já uma barragem de aterro é, como o próprio nome indica, um aterro, ou seja, é uma barreira de terra e/ou rocha que funciona de modo a reter a água. Ao contrário de uma barragem de betão, uma barragem de aterro não suporta bem o galgamento pela água e pode mesmo ter efeitos catastróficos. Já no caso de fendilhação, a barragem de aterro fica mais estável que uma de betão. se pode definir 3 grandes grupos de barragens de aterro tendo em conta o material de que são feitas: barragem de terra; barragem de enrocamento; e barragem de terra-enrocamento.

Fontes consultadas:

  1. www.mabnacional.org.br/…
  2. www.internationalrivers.org/…
  3. pt.wikipedia.org/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/3961

RSS/XML