Dia do Saldão (3º sábado de janeiro)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/3625

Próxima Celebração "Dia do Saldão": Sábado, 20 de Janeiro de 2018, : daqui 150 dias, 06:16:06-03:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 3 minutos.

O Dia do Saldão no 3º sábado de janeiro, é uma comemoração móvel no Estado brasileiro de São Paulo, que foi criada pela Lei Nº 14.108 de 28 de maio de 2010, mas que parece não ter sido muito bem assimilada pelo comércio varejista do Estado paulista, cuja data da celebração pode ocorrer entre os dias 15 de janeiro e 21 de janeiro de cada ano no calendário gregoriano.

Para conhecimento, saldões não devem ser confundidos com promoções e liquidações, pois uma promoção ocorre geralmente, quando as lojas realizam algum tipo de evento promocional, para cumprir exatamente o significado da palavra. Promover algo. Um dos objetivos pode ser atrair mais clientes para o estabelecimento, em troca de descontos em alguns produtos da loja, por exemplo. Também pode ser uma estratégia de marketing para a inauguração de uma loja, um determinado produto entre outros. As promoções podem ser pontuais. Você pode encontrar promoções de roupas, eletrodomésticos e móveis. Bem como eventos  vinculadas a algum tipo de sorteio. Já a Liquidação, normalmente não é muito diferente de promoção, que pode ter como objetivo a redução de estoque, mudança de coleções etc... Como as liquidações de natal, final de ano e em datas comerciais, quando o comércio em geral costuma realizar liquidações de verão, inverno de dia das mães etc...

Por fim, os Saldões se assimilam às liquidações e queimas de estoque que ocorrem em certas temporadas, principalmente em início de ano, por conta dos descontos, porem o seu objetivo é liquidar produtos que sobraram nas lojas. São artigos de mostruário, ponta de estoque etc... Os produtos existentes em saldões, também podem ser provenientes de compras pessoais de comerciantes, de produtos usados, pontas de estoque de empresas do setor varejista, de grandes quantidades de produtos arrematadas em leilões ou compras em grandes lotes de outras lojas, por exemplo, entregues ao comerciante na condição em que estão, na maior parte das vezes, sem sofrerem, qualquer reforma ou verificação de qualidade. Desta forma que são entregues ao comerciante, ele determina o preço, segundo a qualidade do produto, e assim ele é vendido. Esse tipo de aquisição garante margem para vendas em preços menores ao consumidor final, ou seja, a você! Principalmente no início do ano, as grandes lojas realizam os famosos saldão de ano novo, com o objetivo de eliminar esses produtos e também liquidar o estoque, para a realização de balanço contábil e renovação de estoques.

Seja numa promoção, numa liquidação ou num saldão de queima de estoque, o mais importante antes de sair comprando por impulso, é analisar friamente a real necessidade do produto adquirido, pois apesar dos preços serem mais baratos, a compra talvez não seja tão oportuna ao consumidor naquele exato momento. Outra dica é não focar apenas no total de descontos oferecidos, pois nada adianta comprar um produto com 50% de descontos, sendo que o mesmo sofreu uma inflação de 100% dias antes da realização das liquidações. Apesar de muitas empresas sofrerem intimações do PROCON, por causa dessa prática, ainda é possível encontrar falsos descontos como esse, fora isso as compras feitas em liquidações, promoções e saldões, costumam ser um bom negócio. Vale lembrar que mesmo a compra sendo feita em uma liquidação, o consumidor continua amparado por todas as regras determinadas pelo Código de Defesa do Consumidor, como por exemplo, a garantia dos produtos contra defeitos, troca de mercadorias e direito a arrependimento, no caso das compras online.

Apesar de todas as condições impostas algumas vezes pelos comerciantes durantes os saldões, existe um código legislativo que protege o consumidor e determina os limites em que os comerciantes devem operar. Por exemplo, segundo o PROCON São Paulo, "A garantia legal também é válida para produto usado". "É indispensável que o fornecedor descreva detalhadamente, os possíveis vícios que o produto/serviço tenha, uma vez que é direito do consumidor receber informação". "Não é suficiente incluir cláusula que diga que o consumidor está adquirindo o produto no 'estado' em que se encontra, e que não terá direito a troca". "Essa cláusula (entendimento unânime dos tribunais) é nula, isto é, não tem validade". "Somente na garantia contratual e na estendida podem ser estabelecidas condições".

Fontes consultadas:

  1. www.al.sp.gov.br/…
  2. www.al.sp.gov.br/…
  3. www.procon.sp.gov.br/…
  4. www.topsaldao.com.br/…
  5. www.promoo.com.br/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/3625

RSS/XML