Dia do Pastor Evangélico (2º domingo de junho)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/680

Tempo médio de leitura para esse artigo: ± 3 minutos.

O Dia do Pastor Evangélico no 2º domingo de junho, é uma comemoração móvel dos estados brasileiros do Mato Grosso do Sul [Lei Nº 3.409 de 1 de agosto de 2007 e Lei Nº 3.945 de 4 de agosto de 2010] e Rio de Janeiro [Lei Nº 5.645 de 6 de janeiro de 2010 e Lei Nº 4421 de 8 de outubro de 2004], além do Distrito Federal do Brasil [Lei Nº 4.630 de 23 de agosto de 2011 e Lei Nº 5.074 de 11 de março de 2013], cuja data da celebração pode ocorrer entre os dias 8 de junho e 14 de junho de cada ano no calendário gregoriano.

A Lei supracitada do Rio de Janeiro alterou a Lei nº 2.887 de 6 de janeiro de 1998 e extinguiu o "Dia Do Pastor Evangélico" do Estado dos cariocas em 31 de outubro de cada ano].

A antiga data comemorativa do Estado dos cariocas estava relacionada com o "Dia da Reforma Protestante" ou "Reformationstag" em 31 de outubro de cada ano, festejado por membros de Igrejas Luteranas e cristãos de outras denominações, para marcar a data de 31 de outubro de 1517, em que o reformador religioso e teólogo alemão, Martinho Lutero, fixou as "95 Teses" na porta do castelo em Wittenberg na Saxônia, a partir do que se deu início à grande cisão da Igreja Católica Apostólica Romana e ao surgimento das Igrejas Evangélicas, hoje presentes em praticamente todo o mundo.

Para conhecimento, o monge agostiniano Martinho Lutero pregou uma proposta de reforma nas portas da igreja de Wittenberg, debatendo a doutrina e prática de indulgências. Esta proposta é popularmente conhecida como as 95 teses, que foram pregadas na porta da Igreja do Castelo (Schlosskirche). A princípio, não teria sido um ato de provocação ou desafio. A Igreja do Castelo estava na rua principal de Wittenberg, e a porta da igreja funcionava como um quadro de avisos públicos e, portanto, o lugar lógico para se colocar as notícias importantes. Além disso, estas teses foram escritas em latim, a língua de então na Igreja Católica Apostólica Romana, e não em seu vernáculo alemão. No entanto, o caso gerou uma dura controvérsia entre Lutero e os aliados do Papa sobre uma variedade de doutrinas e práticas. Quando Lutero e seus seguidores foram excomungados em 1520, nasceu a tradição luterana.

Para a igreja Luterana, atualmente, essa data festiva é um feriado menor e é oficialmente definido como o Festival da Reforma. Até o século XX, as igrejas luteranas celebravam essa data comemorativa exatamente em 31 de outubro, independentemente do dia da semana. Hoje a maioria das igrejas protestantes muda sua celebração para que caia no domingo, e às vezes, desloca a data para ser celebrada no "Dia de Todos os Santos", em 1 de novembro de cada ano, preservando assim muito das tradições católicas. A exceção neste sentido são os sabatistas, que costumam celebrar a data rigorosamente no dia 31, ou deslocar as celebrações para o sábado. A cor litúrgica do dia é o vermelho, que representa o Espírito Santo e os mártires da Igreja Cristã. O Hino de Lutero, "Castelo Forte é Nosso Deus" ou "Ein feste Burg ist unser Gott", é tradicionalmente cantado neste dia. Todos permanecem de pé durante o hino, em memória ao seu uso nas guerras religiosas do século XVI. Há também a tradição de alguns alunos de igrejas protestantes representarem cenas da vida de Lutero.

Na busca de explicações e porquês para essa data comemorativa, li a íntegra com a respectiva justificação do Projeto de Lei Nº 282 de 20 de junho de 2012 da Assembleia Legislativa do Paraná, sem alcançar meu objetivo.
Também li a íntegra com a respectiva justificação do Projeto de Lei Nº 1.640 de 18 de maio de 2004 da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, pois o "Dia do Pastor Evangélico" do Estado dos cariocas, segundo minhas pesquisas, é a mais antiga comemoração do gênero no 2º domingo de junho, que foi oficializada por Lei em nível estadual até o momento. No meu laborioso trabalho de investigação, descobri que o legislador cita o fato de o 2º domingo de junho já ser tradicionalmente festejado como "Dia do Pastor" por várias igrejas evangélicas do Estado do Rio de Janeiro.
Então, pesquisando um pouco mais, descobri que a cidade brasileira de Niterói-RJ instituiu o "Dia do Pastor Evangélico" no 2º domingo de junho, pela Resolução Nº 1.313 de 13 de setembro de 1984, que foi confirmada pela Lei Nº 565 de 25 de outubro de 1985, sendo essa, a referência mais antiga que encontrei até o momento, ainda que não tenha localizado maiores explicações e porquês para a escolha dessa data móvel de niteroienses.

Fontes consultadas:

  1. www.ceaam.net/…
  2. www.ceaam.net/…
  3. alerjln1.alerj.rj.gov.br/…
  4. alerjln1.alerj.rj.gov.br/…
  5. alerjln1.alerj.rj.gov.br/…
  6. pt.wikipedia.org/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/680

RSS/XML