Dia do início da Semana Nacional de Redução de Desastres (2ª semana de outubro)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/1467

Próxima Celebração "Dia do início da Semana Nacional de Redução de Desastres": Segunda-Feira, 9 de Outubro de 2017, : daqui 77 dias, 20:09:35-03:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 3 minutos.

A Semana Nacional de Redução de Desastres na 2ª semana de outubro de cada ano, é uma comemoração móvel do Brasil, que foi criada pelo Decreto de 26 de setembro de 2005, em apoio ao "Dia Internacional para a Redução das Catástrofes Naturais" ou "International Day for Natural Disaster Reduction" e ao "Dia Estadual de Redução de Desastres" do Estado brasileiro do Amazonas, cuja data do início das celebrações pode ocorrer entre os dias 8 de outubro e 14 de outubro de cada ano no calendário gregoriano.

Essa semana comemorativa de brasileiros tem por fim, aumentar o senso de percepção de risco da sociedade brasileira, mediante a mudança cultural da população relacionada à sua conduta preventiva e preparativa, principalmente para as comunidades que vivem em áreas de risco.
Segundo a Lei supracitada do Brasil, cabe ao Ministério brasileiro da Integração Nacional a coordenação das comemorações dessa semana comemorativa, com a colaboração das entidades nacionais ligadas ao SINDEC [Sistema Nacional de Defesa Civil] do Brasil.
Ainda conforme a já mencionada Lei Federal brasileira, as comemorações dessa semana celebrativa deverão ter cunho eminentemente educativo-informativo e poderão ser realizadas pela comunidade em geral, pelos órgãos estaduais, municipais, setoriais e de apoio ao SINDEC.

A data comemorativa internacional tem por fim, sensibilizar os governos, as organizações e os cidadãos de todo o mundo, para a necessidade de serem desenvolvidas ações concretas que contribuam para reduzir as vulnerabilidades e para aumentar a capacidade de resposta diante da ocorrência de catástrofes, com o apoio da Estratégia Internacional da Organização das Nações Unidas para a Redução de Catástrofes ou "United Nations International Strategy for Disaster Reduction", um sistema que engloba uma série de atores em escala global, e que se destina a melhorar a coordenação e a mobilização de recursos, através do UNISDR [Escritório das Nações Unidas para a Redução de Riscos de Desastres ou "United Nations Office for Disaster Risk Reduction").
Para conhecimento, o termo catástrofe, diz respeito a um acontecimento súbito e fatídico, muitas vezes imprevisível, susceptível de provocar muitas vítimas mortais, feridos e avultados danos materiais, causando assim mudanças na sociedade e no ambiente.
Normalmente é o Homem o grande responsável pelas chamadas catástrofes naturais, devido aos desequilíbrios que cria no ambiente natural. A ação do homem aumenta o risco da existência de catástrofes que, infelizmente estão a tornar-se mais frequentes e violentas. Mesmo assim o Homem teima em não mudar as suas atitudes perante o ambiente, apostando em não seguir regras básicas de sustentabilidade global do planeta em que vivemos.
Mas a ocorrência de fenómenos naturais, tais como sismos, tsunamis ou maremotos e erupção de vulcões, riscos geológicos, ou furacões, cheias, secas prolongadas, ondas de frio/calor, riscos meteorológicos, não implica necessariamente na existência de uma catástrofe.
A determinação de uma catástrofe ou calamidade depende da severidade das perdas e do grau de vulnerabilidade das populações atingidas, mas também da capacidade dessas populações em resistir ou não, quer ao acontecimento quer às suas consequências. Um acontecimento natural potencialmente perigoso, como um furação ou um sismo por exemplo, numa área desabitada, não pode ser classificado como uma catástrofe natural, já que não causou implicações econômicas nem sociais.
A vulnerabilidade das diferentes sociedades às catástrofes naturais depende do seu grau de desenvolvimento. São mais vulneráveis os países menos desenvolvidos, caracterizados por grande pobreza, elevada densidade populacional e fraca capacidade tecnológica e financeira para evitar/reduzir os efeitos das eventuais catástrofes, que normalmente provocam maior sofrimento entre as crianças e outros grupos vulneráveis que vivem em zonas de risco.

Fontes consultadas:

  1. www.planalto.gov.br/…
  2. www.portalangop.co.ao/…
  3. en.wikipedia.org/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/1467

RSS/XML