Dia do Início da Semana Estadual de Valorização e Promoção dos Autodefensores das Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais ou APAEs (2ª semana de julho)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/1384

Próxima Celebração "Dia do Início da Semana Estadual de Valorização e Promoção dos Autodefensores das Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais" ou "APAEs": Segunda-Feira, 10 de Julho de 2017, : daqui 15 dias, 14:43:38-03:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 4 minutos.

A Semana Estadual de Valorização e Promoção dos Autodefensores das Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais ou APAEs na 2ª semana de julho de cada ano, é uma comemoração móvel do Estado brasileiro de Santa Catarina, que foi estatuída pela Lei Nº 16.327 de 20 de janeiro de 2014, cuja data do início das celebrações pode ocorrer entre os dias 8 de julho e 14 de julho de cada ano no calendário gregoriano.

Conforme a Lei supracitada de Santa Catarina, essa semana comemorativa de catarinenses tem por fim:

  • valorizar e promover o papel dos Autodefensores das APAEs;
  • conscientizar a sociedade sobre o trabalho desenvolvido pelos Autodefensores Apaeanos;
  • incentivar os alunos das APAEs a atuarem como Autodefensores;
  • promover espaço específico para debater, com entidades civis e públicas, os assuntos relacionados à Autodefensoria Apaeana;
  • promover encontros entre os Autodefensores Regionais para debater assuntos de interesse da Comunidade Apaeana; e
  • elaborar e distribuir material informativo sobre a Autodefensoria Apaeana.

Essa semana celebrativa de Santa Catarina tem ainda por objetivo, marcar a data da realização do 20º "Congresso Nacional das APAEs" [´também denominado "Congresso do Milênio"], que se deu entre 10 de julho e 13 de julho de 2001 na cidade brasileira de Fortaleza-CE, durante o qual aconteceu ainda paralelamente, o 1º "Fórum Nacional de Autodefensores", a partir do qual se reafirmou o grande desafio das APAEs de assegurar o direito da Pessoa com Deficiência à autogestão ou "self-advocacy", e a sua participação em todas as instâncias do Movimento Apaeano, seguindo as tendências de um movimento chamado "a nova voz" ou "the new voice", que surgiu por volta de 1973 em alguns países desenvolvidos. Nele, as próprias pessoas com deficiência intelectual passaram a se organizar e estabelecer critérios de liderança, para que elas se fizessem ouvir e tivessem suas reivindicações levadas em consideração.

Nesse caminho, a autodefensoria é um movimento desenvolvido pelas apaes, onde os alunos têm espaço para sugestões e ideias em prol de seus direitos.
O autodefensor das APAEs tem a função de defender os interesses dos demais colegas da apae em que esteja inserido, sugerindo ações de aperfeiçoamento. Ele é o porta voz de seus companheiros junto à diretoria da instituição e à sociedade.
Ser um Auto Defensor é lutar pelos direitos das pessoas com deficiência intelectual ou múltipla, preocupando-se em despertar dentro do grupo de alunos, lideranças que possam ajudar uns aos outros. É mais uma conquista para as pessoas com deficiência, na busca do crescimento e da autonomia.
Na medida em que as Apaes abrem espaço para a participação direta de seus alunos, motivando-os a se manifestarem sobre determinados assuntos de interesse dos demais colegas e sobre a temática da pessoa com deficiência intelectual e múltipla nas políticas sociais, a Autodefensoria no Movimento Apaeano vem se estruturando,e a cada 2 anos, é eleito por seus colegas um representante do sexo masculino e uma representante do sexo feminino, para terem presença assegurada com assento e voz em todos os eventos oficiais promovidos pelas respectivas instâncias: nas Apaes, nas Federações das Apaes nos Estados e na Federação Nacional das Apaes, inclusive em todas as Assembleias e reuniões da Diretoria.
E a missão desses representantes consiste na defesa dos interesses das pessoas com deficiência intelectual e múltipla. Para isso, eles devem contar com uma preparação ativa que os capacite para a defesa de suas posições. Eles podem sugerir ações que aperfeiçoem o seu atendimento e sua participação em todos os seguimentos da sociedade. Como porta-vozes de seus companheiros, a participação deles faz uma grande diferença que, de forma positiva, pode ajudar os demais membros da Diretoria a desenvolver habilidades no tratamento da pessoa com deficiência.
Muito embora propiciar condições psicossociais para o desenvolvimento de autonomia da pessoa com deficiência intelectual não seja uma tarefa fácil, por se contrapor diretamente à concepção tradicional estereotipada da pessoa com deficiência intelectual, como um indivíduo incapaz e dependente, a Rede Apae jamais pode deixar de levar em conta, que a razão de todo o trabalho desenvolvido são as pessoas com deficiência intelectual e múltipla. São elas as mais interessadas no funcionamento das instituições. Por isso, a Rede Apae deve facilitar o intercâmbio, promover a troca de informações e conhecer as expectativas desse seu público, como forma de auxiliar os dirigentes na formulação de planejamentos estratégicos e planos de ação.
Nessa perspectiva, o Programa de Autodefensoria é a grande bandeira da Rede Apae em defesa da valorização da diversidade e à promoção da dignidade das crianças, jovens, adultos e idosos com deficiência intelectual e múltipla. O desafio é trabalhar pelo crescimento e desenvolvimento dessas pessoas, considerando suas necessidades e anseios, e contribuir para a sua inserção social.
Por meio do Programa, a pessoa com deficiência intelectual é incentivada a gerenciar sua própria vida cotidiana, na medida de suas possibilidades. É importante que ela faça suas próprias opções para o atendimento de suas necessidades individuais e a ampliação de suas possibilidades existenciais.
Porque é ideia consensual, que as possibilidades do indivíduo não constituem uma característica ou condição intrínseca fixa, determinada por seu diagnóstico clínico ou outra medida equivalente. Ao contrário, essas se ampliam na medida em que lhe são proporcionados suportes e condições adequadas de aprendizagem nos diversos campos. Daí a importância do Programa de Autodefensoria das APAEs.

Fontes consultadas:

  1. 200.192.66.20/…
  2. www.alesc.sc.gov.br/…
  3. www.apaebrasil.org.br/…
  4. apaelucas.blogspot.com.br/…
  5. www.apaebrusque.org.br/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/1384

RSS/XML