Dia do início da Semana da Mineração (semana X 14 de março)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/3964

Próxima Celebração "Dia do início da Semana da Mineração": Segunda-Feira, 12 de Março de 2018, : daqui 317 dias, 06:55:29-03:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 2 minutos.

A Semana da Mineração na semana em que esteja incluso o dia 14 de março, é uma comemoração móvel no Estado brasileiro do Pará, que foi instituída pelo Decreto Legislativo Nº 5 de 14 de maio de 2013, e que deu origem ao "Dia Estadual da Mineração" de paraenses, cuja data do início das celebrações poder´á ocorrer entre os dias 8 de março e 14 de março de cada ano no calendário gregoriano.

Conforme a referida Resolução Legislativa supracitada, por ocasião dessa semana festiva do Estado paraense, a Assembleia Legislativa do Estado do Pará deverá promover conferências, palestras, mesas-redondas e minicursos, além de outras iniciativas educativas, em programação voltada preferencialmente aos alunos das escolas da rede pública estadual do Pará.

Essa semana comemorativa do Estado do Pará tem por fim, marcar a data do início da pesquisa mineral na região de Carajás, ocorrida em 14 de março de 1967, que culminaria no descobrimento das jazidas de ferro de Carajás no Pará, ocorrida em 31 de julho de 1967, quando o geólogo brasileiro, Breno Augusto dos Santos, desceu de helicóptero numa serra da região e, enquanto a aeronave era abastecida pelo piloto, começou a quebrar os primeiros blocos com seu martelo, percebendo então que o pó marrom-avermelhado indicava que a crosta da clareira correspondia a uma "canga" de minério de ferro, sendo que "canga" se refere a uma área rica em minério na superfície.

Para conhecimento, a Serra dos Carajás é uma grande cordilheira e acidente geográfico presente no sudeste do estado do Pará, no Brasil. Na área da serra, desenvolve-se o "Projeto Grande Carajás", um grande e ambicioso projeto de extração mineral em operação. Anteriormente à colonização de origem portuguesa, esse território era povoado pelos povos Karajá e Kayapó. A extensão da serra subdivide-se em regiões, como Serra Norte, Serra Sul, Serra Leste, Serra do Sossego e outras. Entre os projetos minerários em andamento ou com implantação prevista no local, todos eles parte do "Projeto Grande Carajás", podem-se destacar: "Complexo Minerário de Carajás", "Projeto Rio Doce Manganês", "Projeto Igarapé-Bahia", "Projeto Salobo", "Projeto Ferro Carajás S11D" (antigo "Projeto Serra Sul"), "Mineração Onça Puma" e "Projeto Serra do Sossego".

O depósito ferrífero da Serra dos Carajás, por exemplo, contém 18 bilhões de toneladas de minério lavrável, constituindo-se no maior do mundo em 2013. Também há grande depósitos minerais de manganês, zinco, níquel, cobre, ouro, prata, bauxita, cromo, estanho, tungstênio e urânio. A Serra dos Carajás, assim como seu entorno, atualmente encontram-se densamente povoados. Grandes centros urbanos se instalaram nas proximidades do acidente geográfico, fato que contribuiu para a profunda modificação paisagística ocorrida no local a partir da década de 1970. A própria serra encontra-se em contínuo processo de modificação paisagística, devido aos grandes projetos minerários assentados em seu território.

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/3964

RSS/XML