Dia do Handebol (26 de fevereiro)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/3761

Próxima Celebração "Dia do Handebol": Segunda-Feira, 26 de Fevereiro de 2018, : daqui 242 dias, 17:57:25-03:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 3 minutos.

O Dia do Handebol em 26 de fevereiro de cada ano, é uma comemoração no estado brasileiro de São Paulo, que foi criada pela Lei Nº 8.867 de 16 de agosto de 1994, para ser celebrada com eventos desportivos de caráter educativo.

Essa data comemorativa do Estado de São Paulo tem por fim, marcar a data da fundação da FPHb [Federação Paulista de Handebol], que foi constituída em 26 de fevereiro de 1940, tendo por insígnias a bandeira, os emblemas e os uniformes, e sendo suas cores: vermelha, preta, amarela e branca, na esteira da imigração alemã para o Brasil depois da 1ª Guerra Mundial, e consequentemente maior contato de brasileiros com a cultura e tradição folclórica dos alemães, e por extensão, com as atividades recreativas e desportivas praticadas por germânicos, dentre as quais o então Handebol de Campo.

De acordo com o Estatuto da Federação Paulista de Handebol, a FPHb exercerá suas atividades, segundo o disposto neste Estatuto e Leis emanadas dos órgãos de administração nacional, na Constituição Federal do Brasil e leis ordinárias pertinentes, tendo por fim:

  1. dirigir e incrementar a práticado Handebol no Estado de São Paulo, que compreende o de campo; de salão ou de quadra e o de praia ou de areia, também denominado de "beach hand ball", inclusive com a adoção da prática profissional, em todos os níveis, na forma da Lei Federal pertinente, promovendo o seu ensino, a sua prática, a sua difusão e o seu aperfeiçoamento;
  2. promover, administrar, organizar, dirigir e fiscalizar a realização dos campeonatos, torneios, eventos e competições de Handebol no Estado de São Paulo;
  3. cumprir e fazer cumprir normas, decretos, regulamentos e deliberações emanadas das entidades da administração superior quando aplicáveis ao Handebol;
  4. expedir regulamentos, regimentos, códigos, circulares, avisos, portarias, resoluções, boletins oficiais, ou quaisquer outros atos necessários, objetivando instruir as filiadas para a observância da disciplina, organização e funcionamento da prática do Handebol, bem como dando-lhes conta das decisões de seus poderes e das entidades nacionais e internacionais;
  5. incentivar, por meio de processos educativos compatíveis, como fundamento de atividade institucional, a cultura moral, cívica e intelectual, sobretudo no meio das gerações mais jovens;
  6. pugnar pelo progresso e desenvolvimento de todos os filiados, promovendo o bom relacionamento e intercâmbio desportivo entre os mesmos, adotando medidas que tenham por objetivo assegurar esse fim, considerando serem elas bases da organização nacional dos desportos;
  7. unificar no quanto possível a regulamentação e os códigos técnicos desportivos de acordo com os regulamentos internacionais, da Confederação Brasileira de Handebol e dos demais órgãos, entidades e autoridades competentes, fazendo com que estes sejam cumpridos;
  8. empenhar-se no aprimoramento do Handebol, propiciando aos filiados orientação sobre melhores métodos e técnicas para sua prática e desenvolvimento, bem como organizar e promover o funcionamento de escolas e cursos destinados ao Handebol no Estado de São Paulo;
  9. regulamentar e dispor, observada a Lei vigente, sobre o registro, inscrição, transferência, inclusive contratos, remoções e reversões, cessões temporárias ou definitivas, de atletas, amadores ou profissionais e praticantes do Handebol no Estado de São Paulo, obedecidas naquilo que for compatível, às disposições da Confederação Brasileira de Handebol e as demais competentes;
  10. levantar estatísticas sobre as atividades de Handebol no Estado de São Paulo, tomando as medidas necessárias para esse fim;
  11. conceder filiação às entidades de prática desportiva no Estado de São Paulo, obedecidos os requisitos legais aplicáveis;
  12. defender os interesses das filiadas e atletas perante aos poderes públicos e à Confederação Brasileira de Handebol;
  13. representar o Handebol Paulista no país ou no exterior, desde que não se trate de competição internacional de alçada da Confederação Brasileira de Handebol ou do Comitê Olímpico Brasileiro, a menos que estes deleguem poderes para tal;
  14. impedir o desvirtuamento do desporto, bem como qualquer evento que possa comprometer os princípios de ordem moral e educacional que devem nortear o esporte; e
  15. praticar, no exercício da direção Estadual do Handebol, todos os atos necessários à realização de seus fins.

Fontes consultadas:

  1. www.al.sp.gov.br/…
  2. www.fphand.com.br/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/3761

RSS/XML