Dia do Futebol Americano (5 de março)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/3897

Próxima Celebração "Dia do Futebol Americano": Segunda-Feira, 5 de Março de 2018, : daqui 253 dias, 07:58:42-03:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 9 minutos.

O Dia do Futebol Americano em 5 de março de cada ano, é uma comemoração no estado brasileiro de São Paulo, que foi estabelecida pela Lei Nº 16.239 de 1 de junho de 2016.

Apesar de inominados esforços e de muitas pesquisas, e da leitura da íntegra com a respectiva justificação do Projeto de Lei Nº 1.417 de 30 de outubro de 2015 da Assembleia Legislativa de São Paulo, ainda não me foi possível obter maiores explicações e porquês para a criação dessa data comemorativa do Estado de São Paulo em 1 de março de cada ano, que reiterar a necessidade de se fomentar à prática esportiva por meio de subsídio legal, de forma integrada, junto à Secretaria de Estado e por meio de ações que proporcionem o reconhecimento do valor esportivo e educacional do Futebol Americano aos principais âmbitos que regem os processos de formação da cidadania e implicam diretamente na qualidade de vida do cidadão, e ressaltar os benefícios da prática esportiva nos âmbitos da promoção da saúde e bem estar físico, tal como psicológico e social, tendo alçado conceito de eficiente mecanismo de inclusão social outorgado pela comunidade cientifica e sociedade civil, nesse tempo em que a sociedade brasileira atual vive um complexo movimento de valorização da prática esportiva e ascendência de sua participação no cenário esportivo mundial.

Para conhecimento, o futebol americano, conhecido nos Estados Unidos da América simplesmente como futebol ou "football", e como gridiron em alguns outros países de língua inglesa, é um esporte de equipe e de contato, que surgiu de uma variação do rugby, e que recompensa a velocidade, agilidade, capacidade tática e força bruta dos jogadores, pois estes se empurram, bloqueiam e perseguem uns aos outros, tentando fazer avançar uma bola em território inimigo durante uma hora de tempo de jogo, que se transforma em três ou quatro de tempo real. É frequente ver no futebol americano uma metáfora para a guerra, com muita violência pessoal e estratégias elaboradas, a ter lugar dentro do campo em que jogadores pesados e fortes empurram-se mutuamente com cada grama do seu peso, numa linha de frente claramente definida, que se move para trás e para frente ao longo do campo, separando as equipes de ataque e de defesa.

No Brasil, o futebol americano começou a ser praticado de forma amadora, sem o uso das proteções obrigatórias, em quadras de areia ou em praias. No final da década de 2000, as equipes começaram a pensar em importar os equipamentos e jogar na grama. Começava então a evolução do Futebol Americano entre os brasileiros. Em 2009, por exemplo, aconteceu o primeiro campeonato nacional com todos os equipamentos obrigatórios. Foi o Torneio Touchdown, que então contou com 8 equipes. Um ano depois, em 2010, as oito equipes que formaram o Torneio Touchdown fundaram a LBFA [Liga Brasileira de Futebol Americano], que no 1º ano, contou com quatorze equipe das Regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste do Brasil, sendo que outras 7 equipes disputaram o Torneio Touchdown nesse mesmo ano, mas a liga profissional, que seria aberta em 2013, foi cancelada, e ainda há o campeonato organizado pela CBFA [Confederação Brasileira de Futebol Americano], que é Entidade máxima no Brasil, e que tem a chancela da Seleção Nacional e do quadro de arbitragem em Torneios Nacionais. Algumas equipes possuem parcerias com clubes de futebol, facilitando a aquisição de recursos para a prática do Futebol americano, porém, a maior parte delas depende de autofinanciamento. No entanto, o crescimento da popularidade levou à criação de diversas entidades que buscam a formação de atletas, organização de campeonatos e início de profissionalização do futebol americano no Brasil.

Ao contrário da maioria dos países do mundo que associam o termo futebol ao futebol de campo clássico, o futebol americano nos Estados Unidos da América é chamado simplesmente de "football". Na verdade, essa confusão entre os nomes se dá ao fato do futebol e do rugby terem sido introduzidos praticamente na mesma época no Estados Unidos da América. O rugby surgiu na Inglaterra como uma variação do futebol como o conhecemos no Brasil, por isso era formalmente chamado de rugby-football, para se diferenciar do futebol controlado pela AF [Associação do Futebol ou "association-football"]. Apesar disso, informalmente, os dois desportos eram chamados simplesmente de football, o que fez com que a nomenclatura informal do nome fosse carregada junto com o esporte que surgiu com as influências do rugby, sendo que hoje em dia, os dois esportes mantém características facilmente reconhecíveis, como no formato da bola, por exemplo.

Na sua forma atual, futebol americano surgiu de uma série de 3 jogos entre a Harvard de Cambridge-MA nos Estados Unidos da América e a McGill de Montreal em Quebeque no Canadá, em 1867. Os jogadores de McGill jogavam segundo as regras do rugby, ao passo que os de Harvard jogavam o jogo da cidade norte-americana de Boston, mais próximo do futebol europeu. Como era frequente acontecer nesses tempos de quase inexistência de regras universais, as equipes jogavam com alternância de regras, de modo a que ambas tivessem uma hipótese justa de vencer. Os jogadores de Harvard gostaram de ter uma oportunidade de correr com a bola e, em 1875, convenceram a Universidade de Yale a adaptar as regras de rugby para o jogo anual entre as duas universidades. Em 1876, Yale, Harvard, Princeton e Columbia formaram a Associação de Futebol Inter-universitária ou "(Intercollegiate Football Association", que então usava as regras de rugby, à exceção de uma ligeira diferença na atribuição de pontos.

Em 1887, o jogador, treinador e visionário do futebol americano, além de escritor estadunidense, Walter Camp ou Walter Chauncey Camp, introduziu as escaramuças ou combates no lugar das formações (scrums) do rugby, o que fez com que, por sua importante participação na formação do esporte, ele passasse a ser conhecido como "O Pai do Futebol Americano" ou "The Father of American Football". Em 1892, foi introduzido o sistema de downs para contrariar a estratégia de Princeton e de Yale de controlar a bola sem tentar concretizar. Em 1883, a pedido de Camp, reduziu-se o número de jogadores para onze, e Camp introduziu o arranjo, que em breve se transformaria em standard, de linha ofensiva de sete homens com um quarterback, dois halfbacks, e um fullback.

Na década de 1890, formações ofensivas entrecruzadas como a "cunha voadora", por exemplo, ataque em que os jogadores formam uma cunha, protegendo o portador, se tornando perigoso para os jogadores que tentam impedir o ataque, tornaram o jogo extremamente perigoso, o que fez com que alguns jogadores acabassem morrendo por acidentes em campo. No ano de 1905, por exemplo, dezoito jogadores foram mortos em jogos, apesar de terem sido implantadas outras precauções e restrições quanto à "cunha voadora", o que fez com que o presidente norte-americano, Theodore Roosevelt, fizesse uma declaração às universidades, informando que elas teriam de encontrar um meio para tornar o jogo mais seguro. No entanto, foi só depois de mais mortes que, em 1910, as formações entrecruzadas foram totalmente banidas do esporte. O passe de costas foi introduzido em 1906. Em 1912 o campo foi colocado nas suas dimensões anteriores, o valor de um touchdown foi aumentado até aos 6 pontos, e acrescentou-se um quarto down.

Nos Estados Unidos da América, o futebol americano é o esporte mais popular, pois, desde os anos 1990, passou mesmo o baseball como o esporte mais popular da nação estadunidense. A NFL [Liga Nacional de Futebol ou "National Football League"], que cuida do futebol americano profissional, e que consiste de 32 equipes, é muito popular. O FedEx Field, um dos maiores estádios da NFL, por exemplo, tem capacidade para 91 mil pessoas, e o jogo do título da NFL, por exemplo, o Super Bowl, tem uma audiência anual de quase metade dos lares norte-americanos com TV, e é também transmitido para 150 outros países em cerca de 30 idiomas diferentes. Diz-se que as 15 maiores audiências da história da televisão norte-americana teriam sido em jogos de Super Bowl. Na temporada da NFL de 2014, por exemplo, a média foi de 123 mil espectadores por jogo nos Estados Unidos da América.

O futebol americano universitário também é tão popular quanto o promovido pela Liga Nacional de Futebol, e muitos colégios e universidades participam na NCAA [Associação nacional atlética Universitária ou "National Collegiate Athletic Association"], que cuida da 1ª divisão de futebol americano universitário, lotando consistentemente enormes estádios. Os jogos universitários são também transmitidos para grandes audiências de televisão, e muitas das instituições integrantes de divisões inferiores de futebol e da NAIA [Associação Nacional Atlética Inter Universitária ou "National Association of Intercollegiate Athletics"] têm uma grande variedade de equipes de futebol americano, e o mesmo acontece com muitas escolas secundárias. Existem ainda equipes amadoras, de clubes e juvenis, como as equipes das ligas Pop Warner, por exemplo. Além destas ligas e equipes, agora também já existe a Copa do Mundo de Futebol Americano.

A 1ª transmissão televisiva do futebol americano no Brasil, e também na América do Sul, ocorreu em 1969 pela antiga TV Tupi, num tempo em que as transmissões não eram ao vivo, pois o canal recebia a gravação dos jogos da CBS. As transmissões eram narradas pelo locutor brasileiro, Walter Silva, que, logo na 1ª transmissão, pediu ajuda aos telespectadores que conheciam do esporte; na outra semana os jogos já estavam sendo comentados pelo cidadão norte-americano, Thomas Noonan. O futebol americano só contaria com transmissões ao vivo na década de 1990, pela Rede Bandeirantes, que transmitiu o Campeonato de Futebol Americano dos Estados Unidos da América entre 1994 e 1998.

Atualmente o canal ESPN transmite os jogos da temporada NFL de domingo e segunda-feira, e o canal aberto Esporte Interativo transmite os jogos às quintas e dois jogos no domingo. A ESPN transmite os jogos do horário nobre nos Estados Unidos da América, ou seja, o Futebol do Domingo à Noite ou "Sunday Night Football" (aos domingos, 8:00 ET) e o Futebol de Segunda à Noite ou "Monday Night Football" (às segundas, 8:30 ET). O BandSports chegou a possuir os direitos de transmissão de partidas regionais nos Estados Unidos da América, nos horários de 1:00 ET e 4:15 ET, sendo ET o horário da costa leste norte-americana, ou seja, -4 GMT, mas em agosto de 2011, o contrato do canal com a liga encerrou-se e não foi renovado, garantindo assim total exclusividade de transmissão do esporte no Brasil pela ESPN em todos os horários. Vale ressaltar que a ESPN não escolhe os jogos a serem transmitidos no Brasil, já que recebe o feed diretamente da NBC e da matriz da ESPN. Tais jogos, do SNF e do MNF, são escolhidos pelas emissoras norte-americanas antes de começar o campeonato. No SNF, porém, existe um calendário opcional ao final da temporada, após a décima segunda rodada, para que a NBC transmita os jogos de equipes que estão na briga pela vaga nos playoffs.

Em 2007, a AFAB [Associação de Futebol Americano do Brasil] montou uma Seleção Brasileira de Futebol Americano, que disputou um amistoso no Uruguai contra a seleção da casa, e que perdeu de 20 a 17 para os uruguaios. O maior público presente em uma partida de futebol americano no Brasil foi de um pouco mais de 15 mil espectadores, numa partida entre Cuiabá Arsenal e Coritiba Crocodiles, pela final da Superliga Centro-Sul do Campeonato Brasileiro de Futebol Americano, ocorrido em 21 de novembro de 2015 na Arena Pantanal, estádio onde ocorreram partidas da Copa do Mundo Fifa de 2014. O 2º maior público presente em uma partida de futebol americano no país foi de 7056 espectadores, numa partida entre Recife Mariners e João Pessoa Espectros, pela final da Superliga Nordeste, ocorrido em 30 de novembro de 2014 na Arena Pernambuco, estádio onde também ocorreram partidas da Copa do Mundo FIFA de 2014.

Fontes consultadas:

  1. www.al.sp.gov.br/…
  2. www.al.sp.gov.br/…
  3. pt.wikipedia.org/…
  4. www.culturamix.com/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/3897

RSS/XML