Dia do fim da Semana Estadual do Autismo (2 de abril)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/533

Próxima Celebração "Dia do fim da Semana Estadual do Autismo": Segunda-Feira, 2 de Abril de 2018, : daqui 226 dias, 14:16:35-03:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 4 minutos.

A Semana Estadual do Autismo com término em 2 de abril, é uma semana celebrativa comemorada a partir de 27 de março de cada ano no Estado brasileiro da Paraíba, que foi estabelecida pela Lei Nº 9.613 de 27 de dezembro de 2011.

Essa semana festiva da Paraíba está relacionada com o "Dia Internacional de Conscientização sobre o Autismo" ou "International Autism Awareness Day", que foi proposto pela família real do Catar, e que foi aprovado pela ONU [Organização das Nações Unidas] na Resolução Nº 62/139 de 18 de dezembro de 2007.

Nos últimos anos, essa comemoração global tem sido festejada com muito azul [roupas, luzes e outros meios], de acordo com a campanha "Ilumine de Azul" ou "Light it Up Blue" da Organização Falando de Autismo ou "Autism Speaks", num esforço mundial para chamar a atenção pública sobre o Autismo.

Entre os objetivos específicos dessa semana comemorativa dos paraibanos estão os seguintes fins:

  • garantir uma definição de diretrizes para uma política de atenção integral voltada para o diagnóstico precoce e para o tratamento dos sintomas de síndrome do autismo, através de uma programação destinada a elaborar e discutir com convidados: especialistas, profissionais da área, entidades da sociedade civil organizada, em busca de novas formas de tratamento do autismo;
  • inserir os portadores de autismo em políticas públicas permanentes que garantam para essas pessoas especiais tratamento diferenciado a partir da escola e no atendimento na rede pública estadual de saúde;
  • eleger prioridades no que diz respeito às urgentes medidas que visem diagnosticar e tratar essa patologia em todas as classes sociais do Estado; e
  • realizar ações públicas relevantes no amparo, na disseminação dos sintomas, na distribuição de panfletagens em locais públicos, escolas, clínicas de tratamento do autismo e em eventos promovidos pelo Estado da Paraíba.

Para conhecimento, o autismo é um distúrbio neurológico caracterizado por comprometimento da interação social, comunicação verbal e não-verbal e comportamento restrito e repetitivo nas crianças atingidas pela doença, ocorrendo 4 a 5 vezes mais em meninos do que em meninas. Os pais costumam notar sinais nos 2 primeiros anos de vida da criança. Os sinais geralmente se desenvolvem gradualmente, mas algumas crianças com autismo alcançam o marco de desenvolvimento em um ritmo normal e depois disso, terminam por regredir.

Crianças com TEA [Transtorno do Espectro Autista] já começam a demonstrar sinais do distúrbio nos primeiros meses de vida: elas não mantêm contato visual efetivo e não olham quando você chama. A partir dos 12 meses de vida, por exemplo, elas também não apontam com o dedinho. No 1º ano de vida, demonstram mais interesse nos objetos do que nas pessoas e, quando os pais fazem brincadeiras de esconder, sorrir, podem não demonstrar muita reação.

O autismo é altamente hereditário, mas a sua causa pode incluir tanto fatores ambientais, quanto predisposição genética Em casos raros, o autismo é fortemente associado a agentes que causam defeitos congênitos. No entanto, existem controvérsias em torno de outras causas ambientais propostas; a hipótese de danos causados por vacinas é tida como uma possibilidade biologicamente improvável e têm sido refutadas em estudos científicos.

Atualmente, os critérios diagnósticos exigem que os sintomas se tornem aparentes antes da idade de 3 anos, normalmente sendo possível de se fazer o diagnóstico clínico por volta dos 18 meses de vida, através de observação direta do comportamento e de uma entrevista com os pais ou responsáveis, para se detectar esse distúrbio que afeta o processamento de informações no cérebro, alterando a forma como as células nervosas e suas sinapses se conectam e se organizam; como isso ocorre ainda não é bem compreendido.
O número de pessoas diagnosticadas vem aumentando drasticamente desde a década de 1980, em parte devido a mudanças na prática do diagnóstico e incentivos financeiros subsidiados pelo governo para realizar diagnósticos, mas a questão se as taxas reais têm aumentado realmente, ainda não é conclusiva.

O Autismo é um dos 3 distúrbios reconhecidos do ASD [espectro do autismo ou "autism spectrum"]; os outros dois são a Síndrome de Asperger, com a ausência de atrasos no desenvolvimento cognitivo e o Transtorno global do desenvolvimento sem outra especificação (comumente abreviado como PDD-NOS para uma sigla em inglês) ou TID-SOE para uma sigla em português), que é diagnosticado quando o conjunto completo de critérios do autismo ou da Síndrome de Asperger não são cumpridos, dentros dos transtorno desintegrativo da infância.

Intervenções precoces em deficiências comportamentais, cognitivas ou da fala podem ajudar as crianças com autismo a ganhar autonomia e habilidades sociais e de comunicação.

Muito embora não exista nenhuma cura conhecida, há relatas de casos de crianças que se recuperaram, e são poucas as crianças com autismo que conseguem viver de forma independente depois de atingir a idade adulta; embora algumas tenham alcançado sucesso. Tem se desenvolvido uma cultura do autismo, com alguns indivíduos buscando uma cura enquanto outros crêem que o autismo deve ser aceito como uma diferença e não tratado como um transtorno.

Fontes consultadas:

  1. www.paraiba.pb.gov.br/…
  2. www.paraiba.pb.gov.br/…
  3. www12.senado.gov.br/…
  4. www.autismspeaks.org/…
  5. pt.wikipedia.org/…
  6. autismoerealidade.org/…
  7. en.wikipedia.org/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/533

RSS/XML