Dia do Biólogo (3 de setembro)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/1124

Próxima Celebração "Dia do Biólogo": Segunda-Feira, 3 de Setembro de 2018, : daqui 343 dias, 04:12:51-03:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 5 minutos.

O Dia do Biólogo em 3 de setembro de cada ano, é uma comemoração do Estado brasileiro do Rio de Janeiro, que foi criada pela Lei Nº 1.907 de 10 de dezembro de 1991 e ratificada pela Lei Nº 5.645 de 6 de janeiro de 2010, e que também é oficialmente festejada nos Estados brasileiros do Espírito Santo e São Paulo como "Dia Estadual do Biólogo".

Essa data comemorativa do Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo também é extra-oficialmente conhecida como "Dia Nacional do Biólogo" e tem por fim, marcar a data da promulgação da Lei Nº 6.684 de 3 de setembro de 1979, que então regulamentou a profissão dos biólogos no Brasil, além de criar o CFBio [Conselho Federal de biologia] e os CRBios [Conselhos Regionais de biologia], definindo-os no conjunto, como autarquias federais com personalidade jurídica de direito público, à semelhança dos demais conselhos profissionais então já existentes no país.

Conforme se encontra em várias páginas da Web, as Associações de Biólogos em atividade na época da regulamentação da profissão de biólogo no Brasil, teriam convencionado estabelecer o dia 3 de setembro como o "Dia Nacional do Biólogo". Mas até o momento, em que pese minhas várias pesquisas sobre o assunto, ainda não logrei encontrar qualquer Resolução, Portaria, Deliberação de Congresso, Encontro, etc... ou mesmo qualquer outro expediente do gênero, que pudesse endossar tal afirmação.

Para conhecimento, o biólogo é um cientista da área da biologia. Desenvolve seus estudos por meio do método científico. Trabalha em laboratórios de pesquisa, laboratórios de rotina como os de biologia clínica, campos abertos como savanas, florestas e todo lugar onde haja vida a ser estudada.
O trabalho do biólogo é bem amplo. Ele pode atuar no desenvolvimento de projetos voltados para a preservação da natureza [animais e plantas]. Assessorar na implantação de projetos de proteção ambiental e na implantação do ISO 14000 em empresas. Atuar na pesquisa científica de instituições públicas e privadas. Trabalhar em laboratórios de exames biológicos e patológicos. Muitos biólogos terminam por atuar na área do magistério (ensino fundamental e médio); ou ainda trabalhar em parques ecológicos, museus e zoológicos.
O biólogo deve gostar muito da natureza [plantas e animais], ter capacidade para trabalhar em equipe, conhecer os recursos naturais, ter facilidade em lidar com animais e interesse pela pesquisa científica.
A Resolução CFBio Nº 10 de 5 de julho de 2003 do Conselho Federal de biologia definiu as áreas e sub-áreas do conhecimento para a atuação do Biólogo.

  • Análises Clínicas.
  • Biofísica: Biofísica celular e molecular, Fotobiologia, Magnetismo, Radiobiologia.
  • Biologia Celular.
  • Biologia Molecular.
  • Bioquímica: Bioquímica comparada, Bioquímica de processos fermentativos, Bioquímica de microrganismos, Bioquímica macromolecular, Bioquímica micromolecular, Bioquímica de produtos naturais, Bioenergética, Bromatologia, Enzimologia.
  • Botânica: Botânica aplicada, Botânica econômica, Botânica forense, Anatomia vegetal, Citologia vegetal, Dendrologia, Ecofisiologia vegetal, Embriologia vegetal, Etnobotânica, Biologia reprodutiva, cologia, Fisiologia vegetal, Fitogeografia, Fitossanidade, Fitoquímica, Morfologia vegetal, Manejo e conservação da vegetação, Palinologia, Silvicultura, Taxonomia/Sistemática vegetal, Tecnologia de sementes.
  • Ciências Morfológicas: Anatomia humana, Citologia, Embriologia humana, Histologia, Histoquímica, Morfologia.
  • Ecologia: Ecologia aplicada, Ecologia evolutiva, Ecologia humana, Ecologia de ecossistemas, Ecologia de populações, Ecologia da paisagem, Ecologia teórica, Bioclimatologia, Bioespeleologia, Biogeografia, Biogeoquímica, Ecofisiologia, Ecotoxicologia, Etnobiologia, Etologia, Fitossociologia, Legislação ambiental, Limnologia, Manejo e conservação, Meio ambiente, Gestão ambiental.
  • Educação: Educação ambiental, Educação formal, Educação informal, Educação não formal.
  • Ética: Bioética, Ética profissional, Deontologia, Epistemologia.
  • Fisiologia: Fisiologia humana, Fisiologia animal.
  • Genética: Genética animal, Genética do desenvolvimento, Genética forense, Genética humana, Aconselhamento genético, Genética do melhoramento, Genética de microrganismos, Genética molecular, Genética de populações, Genética quantitativa, Genética vegetal, Citogenética, Engenharia genética, Evolução, Imunogenética, Mutagênese, Radiogenética.
  • Imunologia: Imunologia aplicada, Imunologia celular, Imunoquímica.
  • Informática: Bioinformática, Bioestatística, Geoprocessamento, Modelagem e Dinâmica Molecular.
  • Limnologia.
  • Micologia: Micologia da água, Micologia agrícola, Micologia do ar, Micologia de alimentos, Micologia básica, Micologia do solo, Micologia humana, Micologia animal, Biologia de fungos, Taxonomia/Sistemática de fungos.
  • Microbiologia: Microbiologia de água, Microbiologia agrícola, Microbiologia de alimentos, Microbiologia ambiental, Microbiologia animal, Microbiologia humana, Microbiologia de solo, Biologia de microrganismos, Bacteriologia, Taxonomia/Sistemática de microrganismos, Virologia.
  • Oceanografia: Biologia Marinha.
  • Paleontologia: Paleobioespeleologia, Paleobotânica, Paleoecologia, Paleoetologia, Paleozoologia.
  • Parasitologia: Parasitologia ambiental, Parasitologia animal, Parasitologia humana, Biologia de parasitos, Patologia, Taxonomia/Sistemática de parasitos, Epidemiologia.
  • Saúde Pública: Biologia sanitária, Saneamento ambiental, Epidemiologia, Ecotoxicologia.
  • Zoologia: Zoologia aplicada, Zoologia econômica, Zoologia forense, Anatomia animal, Biologia reprodutiva, Citologia e histologia animal, Conservação e manejo da fauna, Embriologia animal, Etologia, Etnozoologia, Fisiologia animal/comparada, Controle de vetores e pragas, Taxonomia/Sistemática animal, Zoogeografia.

Tais atividades poderão ser desenvolvidas Entre outras, nas seguintes áreas de Atuação:

  • conservação, manejo e sustentabilidade da biodiversidade e dos ecossistemas;
  • ecotoxicologia;
  • gestão ambiental;
  • ecoturismo;
  • estudos ambientais: EIA [Estudo de Impacto Ambiental]/RIMA [Relatório de Impacto Ambiental], PRAD [Plano de Recuperação de Áreas Degradadas], RADA [Relatório de Avaliação de Desempenho Ambiental], PTRF [Projeto Técnico de Reconstituição da Flora], RCA [Relatório de Controle Ambiental], PCA [Plano de Controle Ambiental], etc);
  • estudos e invetários das espécies animais, vegetais e microbianas;
  • gestão de bacias hidrográficas;
  • gestão de efluentes e resíduos;
  • gestão de museus, jardins botânicos e zoológicos;
  • gestão de parques, reservas e outras Unidades de Conservação;
  • jardinagem e Paisagismo;
  • licenciamento e controle ambiental;
  • recuperação / restauração de ambientes degradados;
  • tratamento, controle e monitoramento biológico da qualidade do ar, água e solo;
  • bioensaios;
  • bioinformática;
  • bioprospecção;
  • biorremediação;
  • bioterismo;
  • desenvolvimento, controle e comercialização de equipamentos e materiais de laboratórios;
  • engenharia genética;
  • floricultura;
  • genômica;
  • processos fermentativos;
  • produção, cultivo, criação e comercialização de espécies animais e vegetais nativas, exóticas e domesticadas;
  • produção de células, tecidos, órgãos e organismos;
  • produção de kits biológicos;
  • tecnologia ambiental;
  • tecnologia de produtos e processos de interesse para as áreas de meio ambiente, saúde e agroindústria.
  • melhoramento genético animal e vegetal;
  • análise e aconselhamento genético;
  • reprodução Humana Assistida;
  • biologia Forense (Perícia Criminal);
  • análises Clínicas;
  • gestão Laboratorial;
  • análises Radiobiológicas;
  • CEC [Circulação Extracorpórea];
  • citopatologia;
  • anatomopatologia;
  • bancos de Sangue;
  • bancos de Sêmen;
  • bancos de Órgãos;
  • controle biológico de vetores e pragas;
  • análises Bromatológicas;
  • coleta de matérias biológicas para diagnóstico laboratorial;
  • análises Ambientais;
  • controle de zoonoses;
  • epidemiologia e saúde pública;
  • vigilância sanitária;
  • educação ambiental;
  • ensino de nível fundamental e médio;
  • produção científica e extensão;
  • universidades e instituições de ensino superior.

Fontes consultadas:

  1. alerjln1.alerj.rj.gov.br/…
  2. www.cfbio.gov.br/…
  3. www.suapesquisa.com/…
  4. pt.wikipedia.org/…
  5. www.al.es.gov.br/…
  6. www.al.sp.gov.br/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/1124

RSS/XML