Dia de Piratini (6 de novembro)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta para esse artigo: http://datascomemorativas.org/E49B

O Dia de Piratini em 6 de novembro de cada ano, é uma comemoração no Estado brasileiro do Rio Grande do Sul, que foi instituída pela Lei Nº 7.517 de 2 de julho de 1981, em homenagem à "Proclamação da República de Piratini" no Estado sul-rio-grandense.

A Lei supracitada do Rio Grande do Sul diz que, as comemorações de caráter cívico, cultural e social, ficarão a cargo da Secretaria de Cultura, Desporto e Turismo e demais Secretarias de Estado relacionadas com aspectos referentes às celebrações de caráter cívico, cultural e social para os sul-rio-grandenses.

A Lei do Rio Grande do Sul acima citada determina ainda, que deverão ser convidados a integrar as programações organizadas, todas as instituições governamentais, comunitárias e particulares que desejarem participar dos festejos.

Essa data comemorativa de sul-rio-grandenses tem por fim, marcar a data da instalação do 1º Governo da República Rio-Grandense e a data da elevação da vila de Piratini à categoria de cidade, ocorrida em 6 de novembro de 1836, quando se deu a aclamação do líder separatista sul-rio-grandense, Bento Gonçalves, então preso por forças imperiais na província da Bahia, como presidente da nova República recém-criada, juntamente com 4 vice-presidentes:

  1. Antônio Paulino da Fontoura;
  2. José Mariano de Matos;
  3. Domingos José de Almeida; e
  4. Inácio José de Oliveira Guimarães.

A República Rio-Grandense, também conhecida como República de Piratini, foi um Estado-nação não-reconhecido, formado no extremo sul do Império do Brasil, em território equivalente ao atual estado do Rio Grande do Sul. O período se constituiu como a mais longa revolta brasileira da história brasileira. Foi proclamada em 11 de setembro de 1836, pelo general brasileiro revoltoso, Antônio de Sousa Neto, como consequência direta da fulminante vitória de forças oligárquicas gaúchas comandadas por ele na "Batalha do Seival", ocorrida em 10 de setembro de 1836, durante a "Revolução Farroupilha", ocorrida entre 1835 e 1845 no Sul do Brasil. No entanto, o objetivo principal dos revoltosos nunca teria sido proclamar um estado-nação próprio, e, portanto, separado da União brasileira, mas sim mostrar ao Império do Brasil, que as oligarquias gaúchas não estavam nem um pouco satisfeitas com os altos impostos cobrados naquele tempo.

Os principais líderes sul-rio-grandenses eram estancieiros, que estavam insatisfeitos com os altos impostos sobre o charque e o couro, de modo que os mesmos produtos estrangeiros fossem mais baratos que os nacionais. A Constituição da República Rio-grandense foi aprovada em 1843, na cidade brasileira de Alegrete-RS. No entanto, as oligarquias gaúchas se consideravam brasileiras, ainda que tivessem se rebelado por essa disparidade econômica. O mesmo acontecia com a população do Rio Grande do Sul, que também se considerava brasileira, ainda que tenha sido convencida a lutar em favor dos estancieiros gaúchos, por conta dos altos impostos sobre o charque e o couro, que então prejudicavam diversos setores da economia local.

Naquele tempo, a economia da então província de São Pedro do Rio Grande do Sul do Império do Brasil era voltada principalmente para a produção de charque e couro. A província voltava a sua produção para o mercado interno, do qual dependia inteiramente. Mas com o câmbio sobrevalorizado e os benefícios tarifários então oferecidos, o charque importado tinha um custo inferior ao nacional, o que fez com que os estancieiros da região iniciassem essa rebelião contra o Império do Brasil.
Entre as principais cidades da então Província de São Pedro do Rio Grande do Sul que não aderiram aos revoltosos, está Porto Alegre, que por esse motivo recebeu do Império o título de "Leal e Valerosa Cidade de Porto Alegre", seu lema oficial até hoje.

Fontes consultadas em 7 de novembro de 2016 às 00:07:14:

  1. www.al.rs.gov.br/…
  2. pt.wikipedia.org/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Antonio Cezar é cego, dedica ± 4 hhoras/dia na maior coleção [RankBrasil] em Datas Comemorativas e seus porquês, e conta com você. Clique e colabore!

Ocultar

Foto do Locutor Antonio Cezar

Você pode entrar em contato para saber como ajudar ou doar qualquer quantia, na Caixa Econômica Federal ou numa lotérica perto de você, para Antonio Cezar, agência 2992, operação 13, conta poupança 8655-1. Por exemplo, moedas do troco no pagamento de suas contas serão sempre bem-vindas.

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/E49B

RSS/XML