Dia da Solidariedade para com o Povo Libanês (22 de novembro)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/3132

Próxima Celebração "Dia da Solidariedade para com o Povo Libanês": Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017, : daqui 57 dias, 10:00:12-03:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 2 minutos.

O Dia da Solidariedade para com o Povo Libanês em 22 de novembro de cada ano, é uma comemoração dos Estados brasileiros do Rio Grande do Sul [Lei Nº 8.727 de 25 de outubro de 1988] e São Paulo [Lei Nº 3.973 de 20 de dezembro de 1983], , que atualmente tem também como concorrente direto o "Dia da Etnia Libanesa" de sul-rio-grandenses, e que agora conta também com o "Dia da Comunidade Libanesa no Brasil", além de contar também, com celebrações associadas em várias cidades e Estados em todo o território nacional brasileiro, em apoio ao "Dia da Independência do Líbano".

Conforme a Lei supracitada do Rio Grande do Sul, por ocasião desse dia festivo, a comunidade gaúcha deverá prestar homenagens à comunidade libanesa e seus descendentes, através de todos os meios que possam ser utilizados, com a finalidade de manifestar o seu regozijo pela participação ativa dos libaneses nos setores político, cultural, econômico e social da vida sul-rio-grandense.

A data comemorativa de libaneses tem por fim, marcar a data da libertação de alguns líderes políticos libaneses, presos por ordem de autoridades francesas,
em meio a vários conflitos e a constituição de um governo "nacional" libanês na montanha, sustentado pelo presidente sírio, Shukri al-Kuwatli e por britânicos na região, além da eclosão de manifestações violentas por todo o país, que se deu em 22 de novembro de 1943, graças à pressão dos britânicos e à intervenção do general francês, Georges Catroux, que fora enviado com urgência a capital libanesa de Beirute, na tentativa dos franceses em colocar ordem na casa, em cuja ocasião, representantes da França livre aceitaram o princípio de independência dos libaneses, para restabelecer a ordem no lugar, , muito embora ainda se tentasse manter o controle francês na região.

Tanto é que, a independência política do Líbano apenas tornou-se oficial apenas em 1º de janeiro de 1944, enquanto a França transferia todas as competências administrativas aos governos sírio e libanês, nos meses que se seguiam. Mas a França ainda conservaria o controle das tropas especiais do Levante até o fim da guerra, condicionando a independência à conclusão de um tratado. As últimas tropas francesas só terminariam por deixar o país em 1946.

Para conhecimento, o Estado do Grande Líbano foi um estado autônomo que, entre 1920 e 1926, fez parte da Síria mandatária - que era administrada pela França, por Mandato da Liga das Nações.

Em 1º de setembro de 1920, o general francês, Henri Gouraud, proclamou o estabelecimento do Estado do Grande Líbano, uma expansão do chamado "Pequeno Líbano", que desde 1861 recebera o estatuto de província otomana separada, semiautônoma, cuja condição se mantivera até 1915, quando o regime otomano, já em desintegração, decidira recuperar o controle direto sobre o território.

Em 1926, o Grande Líbano, cujas fronteiras geográficas eram as mesmas do Líbano atual, passou a chamar-se República Libanesa.

Em 1941, a invasão da Síria e do Líbano pelos Aliados resultara na eliminação das autoridades francesas do Regime de Vichy. Foi sob a pressão dos britânicos, que os representantes da França livre deram seu aval à independência da Síria e do Líbano, muito embora ainda continuassem a manter o controle francês na região, como se viu acima.

Fontes consultadas:

  1. www.al.sp.gov.br/…
  2. www.al.rs.gov.br/…
  3. www.planalto.gov.br/…
  4. pt.wikipedia.org/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/3132

RSS/XML