Dia da Mulher Rendeira (12 de março)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/3953

Próxima Celebração "Dia da Mulher Rendeira": Segunda-Feira, 12 de Março de 2018, : daqui 317 dias, 20:32:15-03:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 2 minutos.

O Dia da Mulher Rendeira em 12 de março de cada ano, é uma comemoração no Estado brasileiro do Ceará, que foi estabelecida pela Lei Nº 14.713 de 14 de maio de 2010, para ser celebrada dentro da "Semana Estadual do Artesanato" de cearenses.

Para conhecimento, mulher rendeira é a pessoa que faz artesanato em renda, e renda é um tecido transparente de malha aberta, fina e delicada, que forma desenhos variados com entrelaçamentos de fios de linho, seda, algodão[1] ou até mesmo de ouro. É, por vezes, aplicada como guarnição de vestidos, alfaias e paramentos. Na sua maioria, as rendas compõem-se de dois elementos: o desenho ou motivo; e o fundo, que mantém o desenho unido. São dois os principais tipos de renda: a renda de bilros e a renda de agulha. Entre outros tipos, incluem-se o crochê (executado com uma agulha) e o frivolité, preparado com naveta, uma espécie de lançadeira, que forma nós com as linhas.

A origem da Renda de Bilros é desconhecida. Associa-se a renda de bilros aos flamengos da Bélgica, porque nesse país, a renda se tornou uma verdadeira indústria importante. Ela está presente também em outros países como em Portugal, na Espanha, na França, etc... No Brasil, a renda está presente em muitos estados brasileiros, mas principalmente na região litorânea. A Renda de Bilros também é conhecida como renda do norte, renda do Ceará ou renda da terra. O fundo, para a renda de agulha, pode ser de tela aberta ou de filetes ligados. Os rendeiros desenham o motivo em papel-pergaminho e fixam-no num fundo de linho encorpado. A renda é executada preenchendo-se o desenho com pontos caseados. O desenho pode ser preparado separadamente e o fundo acrescentado depois.

Já a renda renascença é um trabalho exclusivamente artesanal. Sua trama é executada a partir de um desenho riscado em papel manteiga, fixado em almofada e executada com agulha comum, utilizando linha e lacê (fita de algodão que une as tramas). As peças demoram de semanas a um ano para ficarem prontas, dependendo do tamanho. Sua origem data do século XVI na Europa, daí o nome renascença. Veio para o Brasil com os portugueses e foi ensinada em Pernambuco nos conventos e colégios internos. A renda renascença chegou na cidade brasileira de Poção-PE na década de 1930, pelas mãos de uma senhora famosa na cidade, Maria Pastora, fazendo com que Poção seja hoje, o maior produtor de renda renascença do Brasil. Hoje o Brasil exporta renda para 7 países da América, Europa e Ásia.

Fontes consultadas:

  1. www.al.ce.gov.br/…
  2. www.al.ce.gov.br/…
  3. pt.wikipedia.org/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/3953

RSS/XML