Dia da Imigração Coreana (23 de fevereiro)

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/1203

Próxima Celebração "Dia da Imigração Coreana": Sexta-Feira, 23 de Fevereiro de 2018, : daqui 188 dias, 14:27:14-03:00.
Tempo médio de leitura para essa data comemorativa: ± 3 minutos.

O Dia da Imigração Coreana em 23 de fevereiro de cada ano, é uma comemoração do Estado brasileiro de São Paulo, que foi criada pela Lei Nº 15.466 De 26 De Junho De 2014, disputando espaço com o "Dia da Cultura Coreana" de paulistas, também em 23 de fevereiro.

Ambas datas comemorativas do Estado de São Paulo têm por fim, marcar a data daquele que é tido como o dia do início oficial da cultura/imigração coreana em terras brasileiras, a partir da chegada dos primeiros 107 imigrantes coreanos no porto da cidade brasileira de Santos-SP, que teria se dado em 23 de fevereiro de 1963, em que pese a íntegra com a respectiva justificação do Projeto de Lei Nº 385 de 28 de junho de 2001 da Câmara Municipal da cidade brasileira de São Paulo-SP canalize a chegada oficial das primeiras 17 famílias de imigrantes coreanos ao Brasil, através do Porto de Santos, para o dia 12 de fevereiro desse mesmo ano, razão pela qual a capital paulista festeja nesse dia o "Dia da Imigração Coreana".

Muito embora esse momento seja tido como marco na imigração coreana para o Brasil, antes dessa data, pequenos grupos de coreanos que haviam sido prisioneiros na "Guerra da Coreia" no início da década de 1950 já houvessem desembarcado no Brasil. Até 1963, esses primeiros coreanos vieram então, na condição de colonos agrícolas, cheios de esperanças e sonhos, em busca de novas oportunidades na nova terra. Alguns estabeleceram-se na cidade brasileira de Recife-PE, onde comercializavam a pesca.
Em ambos casos, os coreanos trouxeram em sua bagagem os costumes, as comidas, as religiões, a maneira de se vestir com seus trajes típicos, incluindo os Hanboks, que são as roupas muito coloridas, na maioria das vezes usadas em ocasiões tradicionais para essa gente.

Jà no grande fluxo migratório ocorrido entre 1963 e 1974, a maioria dos coreanos optou por fixar-se nas cidades. Só mesmo uma pequena parte escolheu o campo, quer pela ausência de infra-estrutura para se dedicar à agricultura, quer pelos problemas enfrentados, como o dos posseiros ilegais da terra, que impediam a fixação dos imigrantes coreanos no campo.

Não foram pequenas as dificuldades encontradas pelos coreanos na nova terra: os costumes e a cultura dos 2 povos são bastante diferentes, assim como o idioma, o que provocou sérios problemas de comunicação. Os coreanos, no entanto, superaram esses e outros obstáculos, e hoje estão bem estabelecidos, integrando sua cultura milenar com as nossas tradições.
Atualmente, os imigrantes coreanos estão concentrados nas cidades de São Paulo-SP e na região do ABCD, além de Santos-SP, Campinas-SP e também em outras capitais brasileiras, como Porto Alegre-RS, Curitiba-PR, Rio de Janeiro-RJ, Belo Horizonte-MG, entre outras.
Na capital paulista, os primeiros coreanos instalaram-se na Baixada do Glicério, onde exerciam o comércio de frutas e hortaliças. Com o passar do tempo, a comunidade começou a mudar o seu comércio para bairros como o Brás, e a residência para a Aclimação e depois para outros bairros nobres paulistanos, como Higienópolis e Pinheiros. Nos anos de 1990, o comércio coreano atacadista e de produtos mais baratos fixou-se no Brás, enquanto as lojas das confecções voltadas para a moda feminina mais sofisticada mudaram-se para o bairro do Bom Retiro. Essa regiãoo atualmente tem um perfil predominantemente coreano, tendo sido reestruturada e reformada, com especial menção do Parque da Luz.
Entre as diversas atividades econômicas dos imigrantes coreanos no Brasil, destacam-se a indústria e o comércio de artigos de vestuários [cerca de 30% da produção de roupas femininas no Brasil é feita em empresas de coreanos], o comércio varejista, a indústria e o comércio de eletroeletrônicos, as profissões liberais e o funcionalismo público.
Várias associações coreanas de cunho religioso, cultural, esportivo, comercial e representativo atuam no Brasil, desenvolvendo cada vez mais a integração dos 2 povos. O Projeto de Lei Nº 709 de 6 de dezembro de 2012 destaca o trabalho da ABC [Associação Brasileira dos Coreanos], da ABUC [Associação Brasileira dos Universitários Coreanos no Brasil], da ABEC [Associação Brasileira de Educação Coreana], da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Coreia e da ABDC [Associação Brasileira dos Desportistas Coreanos].

Fontes consultadas:

  1. www.al.sp.gov.br/…
  2. www.al.sp.gov.br/…
  3. www.al.sp.gov.br/…
  4. www.al.sp.gov.br/…
  5. www.radarmunicipal.com.br/…
  6. camaramunicipalsp.qaplaweb.com.br/…

Para dúvidas, críticas, sugestões, reclamações, convites e outros assuntos, por favor, Entre em contato

Licença Creative Commons, para reproduzir tem que citar fonte com link. URL curta: http://datascomemorativas.org/1203

RSS/XML